domingo, 6 de fevereiro de 2011

Tat tvam asi

Os Limites do Materialismo
em: The Path to Enlightment - Dalai Lama (Trad. livre)

A dificuldade de uma interpretação puramente materialista da vida é que, além de ignorar uma dimensão inteira da mente, ela não lida efetivamente com os problemas da vida. Uma mente materialista é uma mente instável, pois sua felicidade é construída sobre circunstâncias transitórias, físicas. Distúrbios mentais são tão frequentes em pessoas ricas como em pessoas pobres, o que é uma indicação clara das limitações dessa perspectiva. Ainda que seja essencial manter uma base material razoável sobre a qual viver, a ênfase da vida deveria ser cultivar as causas mentais e espirituais da felicidade. A mente humana é muito poderosa e nossas necessidades mundanas não são tão grandes a ponto de demandarem toda nossa atenção, especialmente à luz do fato de que o sucesso materialista resolve apenas poucos dos muitos desafios e problemas que confrontam homens e mulheres durante suas vidas, e não faz nada por eles na morte.
Por outro lado, se as qualidades espirituais são cultivadas, como harmonia mental, humildade, desapego, paciência, amor, compaixão, sabedoria e assim por diante, então equipa-se com uma força e uma inteligência capazes de lidar efetivamente com os problemas da vida; e porque o que é acumulado é mental, e não material, não terá que ser deixado para trás na morte. Não há necessidade de entrar no estado pós-morte com as mãos vazias.
_________________________________________________

Monólogo dialógico

- Quem é você?
- Sou a Erika.
- Bonito nome. E quem é você?
- Sou uma mulher, adulta, tenho 33 a...
- Você está me dizendo como você é. Mas quero saber quem é você.
- Sou psicóloga.
- Essa é sua atividade.
- Sou uma pessoa boa.
- Pare de se qualificar e me diga quem é você.
- ... sou humana...
- Esta é a categoria viva em que você se encaixa. Você pode me contar quem são seus pais, o seu passado, suas dores e suas vitórias, sonhos e desejos. Posso escutá-los um a um, mas continuo querendo saber uma coisa muito específica e você não consegue me responder: quem é você?
- Eu sou...
- Quem é esse "Eu" que fala?
- (...).



E você? Quem é você?


Tem alguém aí?
.