segunda-feira, 14 de fevereiro de 2011

Sementes

(Para Anthônia)





E o momento canta.
Toca o tímpano,
pele fina

tambor do peito responde,
som grave dentro para fora
fundindo corpo e destino.
Convite do agora -
cheiro antigo,
vida nova.

Contorno novo,
desastre natural.
Terremoto abre fenda
estria a carne da Terra
espalha tsunami no em-torno:

para alguns, o final

... para outros, boa ferida
solo aberto para as sementes
dos frutos daquela fruteira.

(- Parecem natureza morta!

- Morte,
maquiagem escura da vida.)